Redes sociais

Por Raisa Monteiro Capela, para o TechTudo


Desde que Elon Musk comprou o Twitter, em abril, muito tem se falado a respeito das mudanças que o empresário pode implementar no microblog. Na última terça-feira (10), por exemplo, o bilionário fez uma declaração polêmica ao dizer que pretende reverter o banimento permanente do ex-presidente norte-americano Donald Trump, que teve a conta suspensa por incitação à violência. Musk também já declarou que pretende rever as políticas de moderação de conteúdo do Twitter para ampliar a liberdade de expressão. Diante das declarações controversas, o TechTudo preparou uma lista com cinco mudanças que a rede social pode sofrer após a compra.

Antes, vale destacar que nesta sexta-feira (13) o milionário informou que sua oferta de US$ 44 bilhões para comprar o Twitter estava temporariamente suspensa. Horas depois, ele voltou atrás e afirmou que continua comprometido com a compra, mas que não está satisfeito com a falta de detalhes sobre o número de contas falsas ou de robôs na plataforma. A transação ainda está em fase de análise por acionistas e órgãos regulatórios, e deve ser concluída até o final do ano. Isso significa que, por enquanto, Elon Musk ainda não controla a rede.

Empresário Elon Musk comprou Twitter por US$ 44 bi — Foto: Reprodução/Getty Images

1. Ajustar as políticas de moderação de conteúdo

Elon Musk já adiantou que pretende rever a política de moderação de conteúdo para criar o que ele chama de "arena para a liberdade de expressão". A declaração foi dada em entrevista durante a TED Conference, em Vancouver, mas o empresário não detalhou de que forma isso será feito.

Especialistas receiam que o afrouxamento na moderação possa acentuar discursos de ódio, disseminação de fake news e ataques. Ao mesmo tempo, eles acreditam que a ideia de liberdade de expressão absoluta também pode esbarrar nas diferentes regulações dos países em que o Twitter opera. Vale lembrar que, em janeiro deste ano, a rede social lançou um recurso para denunciar informações falsas, disponível no PC e em celulares Android e iPhone (iOS).

Elon Musk pretende rever a política de moderação de conteúdo do Twitter — Foto: TechTudo

Além do ex-presidente norte-americano Donald Trump, que teve a conta banida após incitar violência e sugerir que houve fraude nas eleições estadunidenses de 2020, o próprio Elon Musk também já se envolveu em polêmicas relacionadas a desinformação na rede social. Em 2020, o empresário foi alvo de críticas por fazer uma série de tuítes criticando o lockdown para conter a pandemia de coronavírus.

2. Derrotar bots de spam

Bots de spam (ou spambots) são perfis automatizados que seguem pessoas, publicam tuítes e interagem com outras contas como humanos. Geralmente, esses robôs são usados para espalhar links maliciosos, disseminar notícias falsas, intimidar pessoas e manipular a opinião pública. Em sua conta no Twitter, Elon Musk sinalizou que pretende derrotar todos os bots do tipo. "Nós derrotaremos todos os spams bots ou morreremos tentando!", disse o empresário em um tuíte. Uma das formas de fazê-lo seria autenticando todos os humanos que usam a plataforma.

No entanto, para Alex Roetter, ex-diretor de engenharia do Twitter, eliminar os bots não é uma tarefa simples. "Para derrotar os spambots, você precisaria construir um classificador que procurasse as características dos bots e os banisse. Você, então, ajustaria o classificador para ser realmente agressivo, de forma que ele eliminaria bots, mas também baniria um monte de 'falsos positivos' humanos, ou seria menos agressivo, deixando alguns bots passarem e banindo menos humanos", explicou Roetter em entrevista ao Big Technology Podcast, da CNBC.

O especialista disse ainda que apoia a iniciativa, mas ressaltou que "não há classificador de bot perfeito". Resta, portanto, saber como Musk fará isso.

3. Combater golpes com criptomoedas

Visto o aumento significativo de golpes com criptomoedas nas redes sociais, Elon Musk usou seu perfil no Twitter para pedir que ações fraudulentas no microblog sejam combatidas com mais rigor. Esta se tornou uma preocupação pessoal do empresário após criminosos invadirem sua conta para pedirem doações em criptomoedas. Contas falsas usando a imagem de Musk e de outros famosos são usadas como isca para a prática de crimes no ambiente virtual.

Crimes virtuais vêm crescendo no Twitter — Foto: Divulgação/Avast

4. Lançar um botão para editar tuítes

Usando seu perfil no Twitter, Elon Musk publicou, em 4 de abril, uma enquete perguntando se os internautas gostariam de um botão para edição de tuítes. Dos quatro milhões de votantes, cerca de 70% responderam que sim. Caso o botão seja realmente adicionado, os usuários poderão corrigir erros de digitação e outros problemas.

Em contrapartida, há uma questão ética que permeia o assunto: a edição pode levar usuários mal-intencionados a mudar o sentido original da postagem. Em 2020, o fundador da rede social, Jack Dorsey, chegou a afirmar que o Twitter provavelmente nunca teria um botão de editar. Atualmente, o recurso está disponível para assinantes do Twitter Blue, que têm acesso a outros recursos premium pagando cerca de três dólares por mês.

5. Abrir o algoritmo do Twitter

O algoritmo é responsável pelo conteúdo que o usuário vê em sua linha do tempo e por definir o que será mostrado com base no interesse das pessoas, como as contas que seguem e os tuítes curtidos. Musk já sinalizou, em comunicações públicas, que pretende abrir o algoritmo do Twitter, tornando-o visível para todos, como já fazem outras redes sociais, como o Mastodon.

Em seu perfil no Twitter, o empresário já havia reclamado da falta de transparência sobre o funcionamento do algoritmo e feito uma enquete para saber a opinião dos seus seguidores sobre uma possível abertura de algoritmo da plataforma. Cerca de 83% dos 1 milhão de respondentes disseram que são a favor da medida. Musk não especificou o que isso implicaria, mas é importante ressaltar que softwares de código aberto podem ser alterados livremente por qualquer pessoa.

Via G1, CNBC e CNET

Veja também: Seis aplicativos que foram vendidos por valores milionários

6 aplicativos que foram vendidos por valores milionários

6 aplicativos que foram vendidos por valores milionários

Mais do TechTudo