Computadores
Publicidade

Por Filipe Garrett, para o TechTudo

Divulgação/Microsoft

A Microsoft repetiu a receita da Apple ao anunciar o Projeto Volterra, uma espécie de mini computador que compreende arquitetura da Arm e apresenta processador Snapdragon da Qualcomm, tendo, portanto, semelhanças com o Mac Mini. Ele tem promessa de alta performance e um perfil que busca conquistar desenvolvedores interessados em criar aplicações Arm nativas para o Windows. O Volterra foi anunciado nesta terça (23), mas não foram divulgados detalhes sobre preço e data de início das vendas.

De acordo com informações da Microsoft, o Volterra terá acesso a versões nativas para arquitetura Arm de ferramentas e tecnologias usadas em produtos da criadora do Windows.

Volterra tem jeitão de Mac Mini e processador Snapdragon da Qualcomm — Foto: Divulgação/Microsoft

O ambiente de desenvolvimento Visual Studio 2022, por exemplo, é a ferramenta de referência no desenvolvimento para qualquer produto da Microsoft. Ela ganhará uma edição nova para sistemas com esses processadores.

O popular editor de código VS Code também terá uma edição para a arquitetura Arm. Já tecnologias de desenvolvimento de aplicações, como frameworks .NET, cruciais para programas criados para Windows há décadas, também terão versões Arm.

A estratégia da Microsoft é oferecer um produto completo para despertar o interesse de desenvolvedores na criação de software compatível com o Windows nativo para Arm. Atualmente, o cardápio de apps assim e processadores nessa arquitetura – a mesma usada em celulares e nos produtos da Apple – é considerado restrito. Grande parte do repertório ainda é formado por aplicações desenvolvidas originalmente para processador Intel/AMD que compreendem outra arquitetura, designada como x86.

Não é só hardware: Microsoft irá disponibilizar ferramentas de software nativas para desenvolver apps para ARM — Foto: Divulgação/Microsoft

Para rodar uma aplicação x86, um PC Arm atualmente usa uma camada de conversão que representa custo em performance – basicamente, porque o sistema precisa traduzir a aplicação x86 em instruções Arm em tempo real. O interesse em apps Arm nativos para Windows eliminaria a perda de desempenho, num esforço que poderia repetir o sucesso que a Apple tem encontrado no processo de adoção da Arm como arquitetura unificada, indo de relógios de pulso aos Macs.

No que diz respeito ao hardware, a Microsoft não se aprofunda ainda nas especificações técnicas. Embora se saiba que o processador é um Snapdragon, não há detalhes acerca de suas capacidades gerais, apenas a indicação de que haverá suporte a processamento de tarefas vinculadas à inteligência artificial, posicionando o Volterra como uma ferramenta também interessante a desenvolvedores que atuam nessa área.

Imagens do desktop indicam um design bem compacto, com direito a refrigeração ativa e suporte a SSD tipo NVMe, além de seleção generosa de interfaces, com presença de USBs e saída DisplayPort para vídeo. Além disso, o design permite o empilhamento de vários Volterra como forma de economizar espaço.

Com informações de Microsoft, The Verge e ArsTechnica

No vídeo abaixo, conheça 5 dicas para montar um PC gamer sem gastar muito

5 dicas para comprar um PC gamer bom e "barato"

5 dicas para comprar um PC gamer bom e "barato"

Mais do TechTudo